sexta-feira, 1 de abril de 2011

Mas tá... O que é cultura?

Porque que é difícil conceituar cultura, já que este termo é tão corriqueiro em nosso dia-a-dia? Bom, acreditamos que a dificuldade começa justamente pela diversidade cultural existente em nosso país, bem como no mundo. 

No campo da antropologia, segundo Laraia, o conceito de cultura utilizado atualmente foi definido por Edward Tylor (1832-1917). Para Tylor, cultura “[...] é este todo complexo [sentido etnográfico] que inclui conhecimentos, crenças, arte, moral, leis, costumes ou qualquer outra capacidade ou hábitos adquiridos pelo homem como membro de uma sociedade”.


Expressão da cultura nordestina. Fonte: BrasilZAO

Recorrendo ao Dicionário Houaiss, podemos encontrar a seguinte definição: “conjunto de padrões de comportamento, crenças, conhecimentos, costumes, etc. que distinguem um grupo social”.

Milanesi, em seu livro “A casa da invenção”, evidencia a dificuldade de se conceituar cultura. Segundo o autor, prevalece, sob o ponto de vista popular, a definição de cultura como “sabedoria” ou como “posse” de conhecimento.

Ainda de acordo com Milanesi, existem formas ou “sinais externos” que evidenciam este “tipo de cultura”. O discurso (fala) e a palavra escrita são um desses sinais.


Na atual sociedade em que vivemos, esta definição é largamente aceita. Principalmente no que se refere à cultura como algo que se adquire como um bem material e que está nas mãos de poucos, ou seja, da elite.

O texto de Milanesi nos fez refletir acerca desta concepção de cultura difundida socialmente. Nos fez lembrar de uma canção escrita por Fernando Anitelli líder do grupo “O Teatro Mágico” intitulada “Zaluzejo” . Esta música narra a história de uma mulher nordestina que, de acordo com a norma culta da língua portuguesa, pronuncia as palavras incorretamente.

Acompanhe a letra da música e assista ao vídeo:

"Ah eu tenho fé em Deus... né?
Tudo que eu peço ele me ouci... né?
Ai quan`o eu to com algum probrema eu digo:
Meu Deus! me ajuda que eu to com esse probrema!
Ai eu peço muito a Deus... ai eu fecho meus olhos... né?
eu Deus me ouci na hora que eu peço pra ele, né?
Eu desejo ir embora um dia pra Recife
não vou porque tenho medo de avião, de torro...de torroristo
ai eu tenho medo né?

Corra tudo bem... se Deus quiser... se deus quiser..."
 Pigilógico, tauba, cera lítica, sucritcho,
graxite, vrido, zaluzejo
"eu sou uma pessoa muito divertida"
 Pigilógico, tauba, cera lítica, sucritcho,
graxite, vrido, zaluzejo
"não sei falar direito"
 Pigilógico, tauba, cera lítica, sucritcho,
graxite, vrido, zaluzejo
"não sei falar"

 Tomar banho depois que passar roupa mata
Olhar no espelho depois que almoça entorta a boca
E o rádio diz que vai cair avião do céu
Senhora descasada namorando firme pra poder casar de véu
 Quando for fazer compras no Gadefour:
Omovedor ajactu, sucritcho, leite dilatado, leite intregal,
Pra chegar na bioténica, rua de parelepídico
Pra ligar da doroviária, telefone cedular
 Quando fizer calor e quiser ir pra praia de Cararatatuba, ]
[ cuidado com o carejangrejo
Tem que ta esbeldi, não pode comer pitz, pra tirar mal hálito ]
[ toma água do chuveiro

No salão de noite, tem coisa que não sei
Mulé com mulé é lésba e homi com homi é gay
Mas dizem que quem beija os dois é bixcional... ]
[ só não pode falar nada,
quando é baile de carnaval
 Pra não ficar prenha e ficar passando mal, copo d'água ]
[ e pílula de ontemproccional
Homem gosta de mulher que tem fogo o dia inteiro,
cheiro no cangote, creme rinsa no cabelo

Pra segurar namorado morrendo de amor
escreve o nome num pepino e guarda no refrigelador,
na novela das otcho, Torre de papel,
Menina que não é virgem, eu vejo casar de véu
 Se você se assustar e tiver chilique, cuidado pra não morrer ]
[ de palaladi cadique
Tenho medo da geladeira, onde a gente guarda yogurte,
porque no fio da tomada se cair água pode dá cicrutche
To comprando um apartamento e o negócio ta quase no fim
O que na verdade preocupa é o preço do condostim
O sinico lá do prédio, certa vez outro dia me disse:
Que o mundo vai se acaba no ano 2000 é o que diz o acalipse

 Tenho medo de tudo que vejo e aparece na televisão
Os preju do Carajundu fugiram em buraco cavado no chão
Tesorista, assassino e bandido, gente que já trouxe muita dor
O que na verdade preocupa é a fuga do seucrostador
Seucrosta quem não tem dinheiro, quem não tem emprego ]
[ e não tem condução
Documento eu levo na proxeca porque é perigoso carregar na mão
 Mas quando alguém te disser ta errado ou erradaQue não vai S na cebola e não vai S em feliz
Que o X pode ter som de Z e o CH pode ter som de X
Acredito que errado é aquele que fala correto e não vive o que diz

"e eu sou uma pessoa muito divertida...
eles não inventavam nada... eu gostava de inventar as coisa
não sei falar direito...
inventar uma piada, inventar uma palavra, inventa uma brincadeira...
não sei falar
me da um golinho... me da um golinho..."

E com muito prazer que eu convido agora todos aqueles ]
[ que estão ouvindo esta canção
Para entoar em uníssono o cântico: Omovedor, Carejangrejo
Vamos aquecer a nossa voz cantando assim:
Omovedor, Carejangrejo, Omovedor, carejangrejo... Omovedor!"omovedor... carejangrejo... só isso que eu tenho pra falar!"
Fonte: http://www.vagalume.com.br/o-teatro-magico/zaluzejo.html


Após esta canção é impossível não lembrar do livro “A língua de Eulália” de Marcos Bagno. Nesta obra, Bagno retrata muito bem a questão da norma culta da língua portuguesa e suas diferentes expressões ou variedades na linguagem informal, classificando-as em Português Padrão (PP) e Português não Padrão (PNP).

Em um país tão plural e cheio de sotaques como o Brasil, não devemos “classificar” os indivíduos pela forma que expressam suas idéias nem, tampouco, segmentar em “níveis” ou afirmar se uma pessoa tem ou não cultura.

A alma do ser humano é sua cultura. E esta é construída ao longo da vida a partir da interação com os outros indivíduos. A cultura também não é estática, está em constante transformação e esta é expressada de diversas formas: no vestuário, na dança, na religião, na música, na culinária, nas festas, no sotaque e na língua.

Achiles Escobar. Alagoneidade. Fonte: TRT 19

A cultura que elegemos como nossa homenageada neste blog é a nordestina, mas viva à todas as formas de cultura e à diversidade cultural brasileira!

E aí, o que é cultura para você? Deixe seu comentário!

Referências:

BAGNO, Marcos. A língua de Eulália: novela sociolinguística. 16.ed. São Paulo: Contexto, 2008.

HOUAISS, A.; VILLAR, MS. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

LARAIA, Roque de Barros. Antecedentes históricos do conceito de cultura. In:______. Cultura: um conceito antropológico. 14.ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

MILANESI, Luís. A cultura do centro. In:______. A casa da invenção. Cotia: Ateliê Editorial, 2003.

10 comentários:

  1. Oi Carolina, como vai?

    Parabens pelo Blog, é muito legal.

    Eduardo Moraes

    ResponderExcluir
  2. Carol, achei a pesquisa muito rica. Não sobrou quase nada pra falar... Então, eu vou falar do sabido. Sabido é aquele que sabe ouvir, ver e estar junto do outro sem resistências.

    ResponderExcluir
  3. Olá meninas! O teatro mágico foi uma excelente escolha para clarificar o q é cultura e demostrar a diversidade! bjs

    ResponderExcluir
  4. Meu ja conhecia a musica e respeito muito o ser humano em primeiro lugar e não é pelo modo como falamos que temos que julgar nosso proximo
    por que o que importa mesmo é a que viemos nesse mundo e garanto que ninguem veio para ser descriminado minha mãe é cearence e tenho maior orgulho dela que sempre quiz meu melhor e deu os melhores ensinamentos que uma mãe e uma mulher de bem pode passar para os filhos concordo plenamente: ERRADO É AQUELE QUE FALA CORRETO E NÃO VIVE O QUE DIZ!!!

    meu ficou muito legal em RÊ PARABENS A VC E A CAROL continuem assim que todo mundo gosta!!!

    ResponderExcluir
  5. Queridas, achei muito rico... Rico demais! Penso que um post assim poderia ser desmembrado em dois ou três e render uma discussão mais elaborada. No mais, o blog está bastante completo. Parabéns!
    Bjinhos.

    ResponderExcluir
  6. Delícia de texto.
    Não podemos esquecer que, para o capitalismo a cultura é produto e não um meio de elevar a auto-estima da população.

    ResponderExcluir
  7. nossa garotas...pelo jeito agradou a todos com o tema cultura,foi um belo trabalho parabéns e mais um vez mostrou a importancia do nordestino no crescimento não só de São Paulo,mas o Brasil como um todo.E como toda a cultura,a nordestina com certeza tbem tem seus valores.

    ResponderExcluir
  8. Não entendi Roberta pq o post teria que ser desmenbrado,achei muito interessante e com certeza ficou com gostinho de quero mais,foi muito bem elaborado e simples de ser entender e a cultura nordestina é muito extensa e rica,sou prova disso pois sou nordestina.Mais uma vez as meninas estão de parabéns e estou adorando cada vez mais o blog.bjs até mais...

    ResponderExcluir
  9. Carol e Regiane. Não tenho palavras para explicar o quão elucidativo e um gostinho de quero mais o blog de vocês deixa pra nós pobres mortais!! Se me dar conta virei fã do conteúdo do blog!
    Com relação a cultura em especial a nordestina por sinal e divulgação do blog e pelo Brasil a fora se manifesta em nossa música, literatura, comida e no dia-a dia. Grato e aguardo a próxima matéria!

    ResponderExcluir